Formação: Autodidata.

Nascimento: 26/12/1962 em Ituiutaba-MG.

Filiação: Valdo Maximiano Almeida e Iolanda Medeiros Almeida.

A família muda-se para a cidade vizinha de Capinópolis em 1967.

Primeiro diploma de arte: Outubro de 1970, aos 7 anos de idade, pelo primeiro lugar na competição de desenho “O dia das aves”, realizada pelo Grupo Escolar Higino Guerra na cidade de Capinópolis.

Desenvolve grande interesse pela arte figurativa, em especial pela anatomia humana, o que o leva a desenhar continuamente as pessoas à sua volta.

Em 1975 muda-se de volta para Ituiutaba, após a morte de seu pai.

Passa a morar com a tia e vive um período difícil, sentindo muito a ausência do pai que apoiava fortemente sua arte. 

Oportunidades de trabalho no campo da Arquitetura o levam a iniciar um estudo com profissionais ligados à área. Encontra apoio no estúdio do artista plástico Wadim, onde desenvolve suas habilidades em desenhos técnicos, publicitários e arquitetônicos. Novamente se sente amparado em suas aspirações, e, aproveitando a grande quantidade de fontes de pesquisa, continua seus estudos pessoais de arte figurativa.

Experimenta com vários materiais, até se firmar com tinta a óleo.

Pinta seu primeiro retrato a óleo em 1979 com altíssimo sucesso, aos 16 anos de idade, em Ituiutaba.

Aos 18 anos muda-se para Goiânia, onde trabalha como designer de interiores. Entre 1981 e 1985 lança várias linhas de móveis para a empresa JL Móveis de Estilo. Paralelamente continua se aprofundando na arte, pintando quadros que são prontamente vendidos no próprio show-room da empresa.  


Pintura do início da década de 80, realizada em Goiânia

Volta para Ituiutaba em 1986, onde segue trabalhando no ramo de arquitetura de interiores. Mantém forte conexão com Goiânia. Continua lançando linha de móveis para a empresa JL, como free-lancer. A cidade também consumia bem seus quadros, que o artista qualificava como “apenas decorativos”.  

Pinta alguns retratos no final da década.

Sua ligação com a arquitetura o leva a conhecer a arquiteta Lílian Mascarenhas, em cuja parceria realiza belíssimos trabalhos. Os dois se casam em 1994.  


O artista com a família

Após alguns anos afastado dos pincéis, Antonio Carlos decide voltar à ativa no começo de 2002. Sentindo-se realizado na vida pessoal, se aprofunda ao máximo no estudo da arte. Inicia um período de grande produtividade, ao mesmo tempo em que pesquisa tudo o que é relacionado à pintura clássica. Refina seu estilo de maneira criteriosa e passa a controlar a qualidade de seus trabalhos com extremo rigor. Conhece artistas internacionais e começa a levar sua arte até outros continentes. Pinta retratos para clientes na Europa e Estados Unidos, além de atender a vários clientes no Brasil, incluindo celebridades.

Em 2004, pela primeira vez, resolve expor publicamente sua arte em sua cidade natal. Participa do 2° Salão de Artes de Ituiutaba com o quadro “Toque de Midas” e obtém o primeiro lugar de maneira unânime.  


Premiação do quadro "Toque de Midas"

Em 2005 repete a dose, e novamente vence o concurso do 3° Salão de Artes de Ituiutaba com a tela “Manuella & Olliver”.  


Premiação do quadro "Manuella & Oliver"

No ano de 2006 o Salão de Artes foi dividido em 5 categorias, visando diversificar as
premiações. Mais uma vez Antonio Carlos foi o mais premiado da noite, com quatro troféus, sendo dois primeiros lugares.


 Premiações pelos primeiros lugares nas categorias Natureza Morta e Animal

No decorrer de 2008 o artista conquistou um importante prêmio no cenário nacional. Sua obra "A Menina da Loja de Tapetes" recebeu o prêmio aquisitivo da Prefeitura Municipal de Piracicaba, no concorridíssimo 56° Salão de Belas Artes de PIRACICABA.


 Premiação pela obra "A Menina da Loja de Tapetes"

Ainda em 2008, em dezembro, a obra "O Incêndio de 1938", representando o momento em que o fogo destruía a Matriz de São José, um fato histórico que marcou a população ituiutabana, foi premiado e adquirido pela Prefeitura Municipal de Ituiutaba.


 Premiação pela obra "O Incêndio de 1938"

 

No ano de 2009 Antonio Carlos atendeu a várias encomendas e não participou de Salões de Arte


Em 2010 o artista mantém-se ativamente à frente de seu cavalete, trabalhando em vários projetos.